Artigo

GLOSSÁRIO DE TERMOS EM JACOB BOEHME
por: Frater Zelator SII

  Todos os Martinistas sabem a importância que Saint Martin detinha aos textos de Jacob Boehme, porém nem sempre é fácil ao estudante Martinista compreender com profundidade os assuntos abordados pelo "Príncipe dos Filósofos". Desta forma o glossário preparado pelo Amado irmão Zelator SI SII irá auxiliar os buscadores na interpretação e compreensão de Jacob Bohme.


  A Mente Divina é uma função da Unidade Eterna que exerce caoticamente (misturadas) as subfunções de Imaginação (capacidade de gerar a imagem mental ou éter daquilo que se quer criar, aqui se encontra a Sabedoria, antes de receber a Luz do Filho), a Percepção, a Memória, o Pensamento, a Inteligência, Conhecimento. Após a revelação da Unidade Eterna Ela é atribuída ao Pai.

  Sabedoria Divina é um atributo (substancial e inteligente) da subfunção da Mente do Pai, que dosa o Poder e a Virtude a serem aplicados em cada caso pelo Espírito Santo (essencial e sem inteligência) para que algo se revele. Antes de receber a Luz do Filho ainda é caótica, como função do Pai. Após receber a Luz do Filho deixa de ser caótica e passa a exercer Sua função para a manifestação.

  Revelação é a passagem do estado de Unidade Eterna para Tri-unidade Eterna.

  Manifestação ou Criação é a passagem do estado de Tri-unidade Eterna para Natureza (naturante). Cabe aqui uma analogia com a fotografia. Primeiro o filme está dentro da máquina ou no carretel com a imagem fotografada em potencial (Unidade Eterna, ou Ain Soph Aur, ou Ungroud, ou Aquilo), depois ele é revelado, ou seja, você já pode ver a imagem mas pouco identifica nela (Tri-unidade Divina com as três Pessoas identificadas) e por fim o retrato, ou seja, o filme revelado no papel (a manifestação na Natureza naturante). A natureza naturada não é imagem, mas sim a realidade que foi fotografada.

  O Mysterium Magnum é um estado intermediário entre a revelação da Tri-unidade Eterna e a manifestação da Natureza. Aqui está em formação o que JB chamou de Mundo Interior. O Mysterim Magnum é compreendido por duas substâncias: a Unidade de Deus com similaridade à Sabedoria do Pai na Tri-unidade Eterna (substancial, inteligente, feminina) e Vontade de Deus (Criador, Separador ou Arqueus) com similaridade à mobilidade do Espírito Santo na Tri-unidade Eterna (espiritual ou essencial, não inteligente, masculina). Embora um estado ainda caótico, é dele que surge o Deus misericordioso e o Deus furioso, que no futuro dará origem ao Paraíso (Céu) e às Trevas (Inferno). Nesta etapa surgem o mundo espiritual e as criaturas eternas boas (anjos) e más (demônios), pois quando a Vontade se rompe da Unidade e vai viver por seu próprio desejo, as criaturas terão auto-consciência e livre arbítrio para decidirem sobre a obediência ou não às Leis Divinas. Do Mysterium Magnum tem também origem a Natureza Eterna de cujo centro ela se realiza através de suas sete propriedades, pela Vontade do Criador. É a manifestação. Essas propriedades darão origem às substâncias (elementos puros). As propriedades são sete: adstringência (feminina, origem do elemento terra), amargor (masculina, origem do elemento ar), angústia (origem do elemento água), fogo (origem do elemento fogo), amor (a quintessência), som (harmonia) e tangibilidade (matéria prima da natureza naturada).

  As sete propriedades da Natureza Eterna estarão sempre compreendidas pelas duas substâncias presentes no Mysterium Magnum: a substancial (yin dos taoístas) e a espiritual ou essencial (yang dos taoístas):

  Primeira Propriedade - adstringência ou restrição, de caráter feminino, agudo desejo, mas tem vontade de permanecer na unidade. O sal espiritual, origem da terra.

  Segunda Propriedade - amargor, movimento (por isso é a origem do água, de caráter masculino, surge da primeira mas é quem a rompe. Foi por ela que o Criador, ou Separador, ou Arqueus transformou todas as coisas do Mysterium Magnum em forma. É o mercúrio espiritual.

  Terceira propriedade - angústia, produzida pela luta entre as duas primeiras; é a dor e o sofrimento da percepção ou sensibilidade; é o fundamento do inferno e da fúria de Deus. É o enxofre espiritual (onde reside o Azeite e neste a Quintessência ou Mercúrio ardente ou ígneo), origem da ar. A Vontade tende para a Unidade Eterna (repouso) e esta para a sensibilidade.

  Quarta Propriedade - é o fogo espiritual pelo qual a Luz se manifesta; é a origem do fogo tangível. É devido a ela que surgem os dois Princípios do Mundo Interior: o Primeiro Princípio (Inferno ou Trevas) e o Segundo Princípio (Céu ou Paraíso), por similitude ao Pai e ao Filho, respectivamente. As Trevas é a região onde o fogo queima na escuridão e o Paraíso onde ilumina no Amor e na Unidade de Deus. Isso porque nas Trevas o fogo é frio na compressão (efeito da primeira propriedade), é vulcânico no movimento (efeito da segunda) e é quente na angústia (efeito da terceira). No Paraíso ocorre a conjunção da Unidade Eterna pela participação do brilho da Luz ou Amor do Filho.

Essas quatro propriedades constituem o círculo de geração da vida, motivo pelo qual JB denomina seu conjunto de centrum.

  Quinta Propriedade - é o fogo que ilumina, Fogo do Amor ou da Luz. É a Luz que não foi compreendida pelas Trevas (conf. João). No Mundo Invisível a Luz e as Trevas estão uma na outra, embora não se compreendam. Com ele se manifesta a Sabedoria Divina.

  Sexta Propriedade - é a harmonia reinante entre as demais propriedades.

  Sétima Propriedade - é a substância gérmen da natureza, formada pela dosagem das demais e emolduradas pelas duas substâncias presentes no Mysterium Magnum, cujo poder resultante é chamado de tintura.

Frater Zelator SII

SABEDORIA ARCANA

Selo Editorial

Redes Sociais